quinta-feira, 6 de novembro de 2014

ESQUIZOFRENIA: SEUS VÁRIOS TIPOS

O que é Esquizofrenia?
A esquizofrenia como conhecemos hoje era conhecida como mania e frenesi.

Hoje a esquizofrenia é uma enfermidade psíquica que afeta a consciência do próprio eu, as relações afetivas, a percepção e o pensamento.

É a psicose endógena mais frequente, afetando cerca de 0,65% da população.

O termo esquizofrenia significa "cisão das funções mentais".

Atualmente a esquizofrenia não classificada como doença, mas como um transtorno mental que pode afetar homens, mulheres em várias idades, nacionalidade e deferentes estratos sociais.

Características gerais da esquizofrenia
A esquizofrenia se caracteriza por uma desorganização no processo mental, na qual o esquizofrênico perde o sentido da realidade ficando incapaz de distinguir a experiência real da imaginária.

Alucinações, delírios, alterações de comportamento são alguns sintomas da esquizofrenia.

Geralmente, os primeiros sintomas aparecem antes dos quarenta anos de idade.

Gravidade da enfermidade
A esquizofrenia é uma doença grave que está entre as dez maiores causas de invalidez, mas que, no entanto, com o diagnóstico de forma precoce e tratamento pode trazer qualidade de vida ao paciente.

Um dos maiores desafios para os profissionais e familiares de portadores de esquizofrenia é fomentar a sua inserção social, principalmente no mercado de trabalho.

Sintomas que chama atenção para um possível diagnóstico de esquizofrenia
Em geral os primeiros sintomas da Esquizofrenia são: isolamento, retraimento social, distúrbio do pensamento, do discurso (conversação) ou da conduta, podendo preceder e/ou acompanhar os sintomas psicóticos.

Logo, normalmente uma pessoa com um quadro de esquizofrenia apresenta uma realidade não comum, ansiedade e confusão diante do mundo real, normalmente parece distante, isolado e preocupado.

Outros detalhes sobre a esquizofrenia
A esquizofrenia pode consistir em uma só doença ou pode incluir doenças com causas diferentes.

A esquizofrenia aguda é marcada pelo aparecimento repentino de sintomas psicóticos muito graves.

O paciente com esquizofrenia aguda tem perda do sentido da realidade e fica incapaz de distinguir entre as experiências reais e imaginárias.

A esquizofrenia crônica é marcada por sintomas contínuo ou recorrente.

O paciente com esquizofrenia crônica frequentemente não recupera suas funções normais e necessita, em geral, de tratamento longo, incluindo o uso de medicamentos para controlar os sintomas.

Os tipos de esquizofrenia
Esquizofrenia simples
É um tipo de esquizofrenia duradoura, com poucos sintomas psicóticos. A características principal é que o psicótico se parece com um débil, não tendo previsão dos fatos.

Esquizofrenia hebefrênica
Esse tipo de esquizofrenia se caracteriza pela regressão ou comportamento infantil, fracas reações emocionais, deterioração mental, pensamentos ilógicos, o que faz a pessoa passar por "boba" entre os leigos.

Ela também é acompanhada de ilusões, alucinações, visuais, audíveis e táteis.

Esquizofrenia catatônica
Há pouca informação sobre catatônico, pois é raro.

A principal característica da esquizofrenia catatônica é o enrijecimento muscular; a pessoa pode passar muitos dias com o braço esticado ou o corpo recolhido. Mostra-se negativista e não tem capacidade para se orientar.

O catatônico animado está inquieto e hiperativo. Pouco sono e estão em vigor como continua até que o colapso de exaustão.

No entanto, os atos violentos são frequentes.

O catatônico é repressivo para atividade motora.

Alguns podem ter posições estranhas, não querendo mudar de posição.

Outros exibem “Waxy flexibilidade”, permitindo-se a ser preparado e depois continuar assim por longos períodos.

Durante os episódios de extrema retirada, não pode comer ou controlar sua bexiga e as funções intestinais.

A esquizofrenia paranóide
Esquizofrenia paranóica é o mais comum de todos os tipos de esquizofrenia e caracterizados por delírios ou alucinações auditivas frequentes.

Não são outros sintomas óbvios, como discurso e comportamento desorganizado ou afeto deprimido.

Delírios de perseguição são mais comuns, suas interpretações de comportamento e outros são prejudiciais e distorcida, por exemplo, um motorista de ônibus que sorri a bondade é visto como algué que ri deles com escárnio.

Os indivíduos com este tipo de esquizofrenia são propensos à raiva, e muitos se sentem perseguidos.
 
A esquizofrenia desorganizada
Esta tipo de esquizofrenia é caracterizada pela desintegração  grave comportamentos regressivos que começam em uma idade adiantada. Incluir discurso incoerente ou desorganizado e afeto frequentemente mortos ou inadequados.

Essas pessoas agem em um absurdo, incoerente muito estranho, “louco”.

A resposta emocional a situações vida real é típica, mas um sorriso e uma criança podem rir exibidas em horários impróprios.

Elas também tendem a mudar o assunto em vez de seguir uma ideia.

Devido à gravidade da doença, muitas pessoas são incapazes de cuidar de si.

A esquizofrenia indiferenciada
Indiferencial e esquizofrenia residual são diagnosticadas quando os sintomas da pessoa são, obviamente, mas mistos ou indiferenciado de esquizofrenia.

Estes sintomas podem incluem distúrbios do pensamento, delírios, alucinações, conduta incompatível e seriamente danificado. Às vezes, ser um estágio anterior de outro subtipo.

Esquizofrenia residual
O diagnóstico da esquizofrenia residual é reservado para pessoas que já tiveram pelo menos um episódio de esquizofrenia no passado, mas atualmente não que apresentem sinais de destaque para a classificação como um tipo esquizofrenia.

Diagnóstico e tratamento
Uma vez diagnosticado a esquizofrenia, que normalmente é feita por um médico psiquiatra ou outro profissional da área de saúde mental, como psicólogos ou psicanalista, não substituindo no entanto, o diagnóstico médico do Psiquiatra.
 
No caso da Esquizofrenia o tratamento médico psiquiátrico e uso de medicação é indispensável.
 
A psicoterapia é útil mas tem suas limitações de dependendo da gravidade e do tipo de Esquizofrenia o seu resultado nem sempre satisfaz.

 
Postar um comentário