domingo, 6 de dezembro de 2015

AS DOENÇAS QUE MAIS CRESCEM NOS DIAS ATUAIS




Além da Depressão, que ainda reina absoluta entre as enfermidades mentais na atualidade, temos ainda mais três enfermidades que estão em crescimento no dias atuais, a saber: ansiedade,  síndrome de pânico, stress pós-traumático  e transtorno obsessivo compulsivo.

Uma explicação para as causas é o rito de vida cada vez mais agitado e a ansiedade à flor da pele que estressam e deixam a população sujeita a depressão e outras enfermidades, nas últimas décadas. 

E pelo o que prevêem os especialistas os próximos anos não devem ser diferentes. 

E já é um fato, hoje temo um crescente números de pessoas que estão desenvolvendo ansiedade,  síndrome de pânico, stress pós-traumático  e transtorno obsessivo compulsivo.

Mas, enquanto os grande anúncios na área de diagnóstico não chegam, as promessas são fortes para que a população desfrute de medicamentos mais potentes para a depressão. Os que estão disponíveis atuam nos hormônios serotonina e noradrenalina. 

Aqueles que devem chegar ao mercado nos próximos cinco a 10 anos prometem ser neuroprotetores. 

Ou seja, estimularão a emissão de novas ramificações dos neurônios — ação que faz com que, inclusive, a memória seja potencializada.

ENFERMIDADE EM CRESCIMENTO.
Confira alguns das enfermidades mentais que podem se intensificar nos próximos anos entre a população:

Transtorno de Ansiedade Generalizada
É marcado por uma sensação constante de ansiedade, combinada a sintomas nervosismo persistentes, tremores, tensão muscular, sensação de vazio na cabeça, palpitações, tonturas, desconforto gástrico, suor nas extremidades, falta de ar, agitação e dificuldade para relaxar. 

Podem aparecer insônia, falta ou excesso de apetite, com comprometimento das relações sociais e da saúde sexual.

Síndrome de Pânico 
A característica essencial deste transtorno são os ataques recorrentes de ansiedade grave (ataques de pânico), que não ocorrem exclusivamente numa situação ou em circunstâncias determinadas, mas são de fato imprevisíveis.

Os sintomas essenciais do da síndrome do pânico são os seguintes: Ocorrência brutal de palpitações; Dores torácicas; Sensações de asfixia; Tonturas; Sensações de irrealidade; Medo de morrer, de perder o controle e de ficar louco.

Aparece em decorrência de alguma situação traumática específica que a pessoa tenha vivido além de uma predisposição pessoal. 

Um episódio de maior estresse pode desenvolver transtornos específicos como pânico de elevador ou de sair sozinha à rua. 

Pode desencadear sintomas como agitação, calor, sudorese, agitação.

Estresse pós-traumático
Este transtorno constitui uma resposta retardada ou protraída a uma situação ou evento estressante ( de curta ou longa duração), de natureza excepcionalmente ameaçadora ou catastrófica, e que provocaria sintomas evidentes de perturbação na maioria dos indivíduos.

Os sintomas típicos incluem a revivescência repetida do evento traumático sob a forma de lembranças invasivas (flahsbacks), de sonhos ou de pesadelos; ocorrem num contexto durável de anestesia psíquica e de embotamento do ambiente, anedonia, e evitação de atividades ou de situações que possam despertar a lembrança do traumatismo.

Após uma situação extrema de tensão, como um assalto, até alguns dias depois do episódio podem surgir sintomas como insônia, mudanças de apetite e alterações de humor, impedindo que a pessoa leve seu ritmo de vida normal.

Transtorno obsessivo-compulsivo 
Transtorno caracterizado essencialmente por ideias obsessivas ou por comportamento compulsivos recorrentes.


Transtorno caracterizado essencialmente por ideias obsessivas ou por comportamento compulsivos recorrentes.

As ideias obsessivas são pensamentos, representações ou impulsos que se intrometem na consciência do sujeito de modo repetitivo e estereotipado. 

Em geral, elas perturbam muito o sujeito, o qual tenta frequentemente resistir-lhes, mas sem sucesso. 

O sujeito reconhece, entretanto, que se trata de seus próprios pensamentos, mas estranhos à sua vontade e em geral desprazeirosos.

Os comportamentos e os rituais compulsivos são atividades estereotipadas repetitivas. 

O sujeito não tira nenhuma prazer direto da realização destes atos, os quais, por outro lado, não levam à realização de tarefas úteis por si mesmas.

O comportamento compulsivo tem por finalidade prevenir algum evento objetivamente improvável, frequentemente implicando dano infligido ao sujeito causado por ele, que ele (a) teme que possa ocorrer. 

O sujeito reconhece habitualmente o absurdo e a inutilidade de seu comportamento e faz esforços repetidos para resistir-lhes. O transtorno se acompanha quase sempre de ansiedade. Esta ansiedade se agrava quando o sujeito tenta resistir a sua atividade compulsiva.

TRATAMENTO
Todas essas enfermidades podem ser tratadas, tanto com medicamento como com psicoterapia.

Quem você deve procurar para fazer tratamento?

Normalmente você deve procurar um clínica Geral para fazer uma checape, fazer exames para saber se não existe nada orgânico, caso não exista, você pode buscar um psiquiatra, psicólogo ou um psicanalista.

Você também pode usar métodos alternativos, como acupuntura, florais e homeopatia, normalmente os médicos deixam de informar sobre esses profissionais, alguns por desconhecimento, ou por que acham que somente a medicina é capaz de resolver os problemas da humanidade, mas cabe a você buscar o melhor para a sua saúde mental.

MEDICAÇÃO
Normalmente a medicação é usada em último caso, é isso que eu defendo, caso seja necessário medicação, seja usado uma medicação não controlada, a não ser em situações graves, pois nesses casos, a medicação é extremamente necessária.

MUDANÇA DE VIDA
Como vimos, todos essas enfermidades normalmente são frutos de uma maneira de viver fora dos padrões normais, são hábitos ruim que vivenciamos na vida diária, como por exemplo, trabalhar demais, alimentação ruim , falta de atividade física, falta de lazer, etc,.. nesse caso, não adianta você ficar fazendo tratamento, se não mudar sua rotina, rever a sua maneira de viver.

Postar um comentário