sexta-feira, 3 de fevereiro de 2017

TERAPIA DE CASAL E SEUS BENEFÍCIOS


A terapia de casal ou terapia conjugal é uma terapia em que ambos os parceiros participam, tendo o foco na sua interação e nas dificuldades específicas que eles estão vivendo. 

Ela pode auxiliar o casal a pôr seu relacionamento de volta aos trilhos, seja no casamento, no namoro ou no noivado.

Na terapia de casais trabalha-se para descobrir onde as coisas estão indo mal e procurar modos de melhorar. 

Não é uma fórmula mágica que irá "consertar" as coisas, mas um canal para o casal entender melhor suas dificuldades e trabalhar em cima delas.

A terapeuta ajuda os parceiros a identificarem os pontos de conflito dentro da relação e a determinar quais as mudanças desejáveis, sejam no modo de se relacionar, sejam mudanças individuais. 

Nesse tipo de terapia, há componentes de mediação, componentes educacionais e de terapia individual envolvidos, dependendo das dificuldades específicas enfrentadas. 

O casal torna-se ciente de pontos de vista e modos de interagir e de se comunicar destrutivos para tentar modificá-los.

QUANDO A TERAPIA DEVE SER INDICADA
Geralmente, a terapia de casal é indicada quando o casal percebe que ainda há sentimento ou algo que os une, e mesmo assim, a comunicação não é clara, ou ainda, o casal não consegue se fazer entender ou compreender aquilo que o outro tem a dizer. 

Muitos casais se envolvem muito jovens, e não possuem tempo suficiente para se conhecer, conhecer a família, saber se é exatamente aquela pessoa que quer conviver sob um mesmo teto, bem como, é comum que casais acabem morando juntos em pouco tempo, mesmo quando não há a presença de filhos. 

Variam muito as questões que trazem o casal à terapia, ou até mesmo, o motivo inicial não é o motivo real, é só um pretexto para que possam tentar resolver determinadas divergências nas relações.

AS CAUSAS POSSÍVEIS QUE LEVAM OS CASAIS A TERAPIA
As causas são diversas, no entanto os problemas que levam o casal à terapia podem ser dificuldades de interação, sexuais, emocionais, falta de habilidade para lidar com o estresse. 

Aqui está embutido o desequilíbrio de valores sobre sexo, educação dos filhos, papéis sexuais, carreira, dinheiro, cuidados com a casa.

Vejamos algumas situações:

Diferença de gênero
Há diferenças de gênero que às vezes podem levar à desentendimentos, como os estilos diferentes de comunicação dos homens e mulheres.

Falta de tempo
A falta de tempo e as pressões do trabalho podem afetar o relacionamento. Casais muito ocupados podem acabar negligenciando a relação, se distanciando ou priorizando sempre outras partes de sua vida, levando à mágoas. 

Esgotamento físico e mental
Outras vezes, sentem-se cansados e esgotados quando chegam em casa e acabam não respondendo às necessidades de seus parceiros. Isso também se acentua quando o casal tem filhos pequenos.

Infidelidade, traição, adultério
A infidelidade ou traição geralmente leva à uma crise, assim como o estresse que pode advir em fases de transição de vida. 

Violência doméstica (Violência física e verbal)
Violência doméstica (seja ela física e verbal) também é um dos motivos para o casal procurar a terapia. 

Brigas, conflitos e descomprometimento
Brigas ou discussões constantes, diferenças no grau de comprometimento entre o casal.

Dificuldades sexuais
Dificuldades sexuais (como disfunções sexuais como carência de desejo, ansiedade de performance, falta de orgasmo; descompasso de preferências; reflexo de crise na relação, etc).

Falta de prioridade e exclusividade
Casal aonde existe um elemento que não tem o outro como prioridade e exclusividade, um dos envolvidos quer casar, mas quer ter comportamento de solteiro, etc.

Todas as dificuldades citadas com o tempo tomam a forma de uma crise, onde muitas vezes um ou ambos põem em cheque a continuidade da relação, dai nasce a necessidade de buscar uma ajuda.
Importante que se diga o seguinte:

A não resolução de problemas que surge no relacionamento pode gerar a alimentação constante de problemas individuais, gerando assim uma situação crônica.

Por exemplos:
Brigas constantes levam a um estado crônico de irritação ou de ansiedade;
Já um parceiro constantemente irritado ou ansioso por questões individuais (pressão no trabalho, por exemplo) fica mais predisposto a discussões constantes na relação.

EM QUE UMA TERAPIA DE CASAL PODE AJUDAR
São várias as maneiras em que uma Terapia de Casal pode ajudar, citaremos algumas:
Melhorar a comunicação
Identificar objetivos comuns
Negociar e equilibrar as diferenças individuais dentro da relação
Aprender a compartilhar responsabilidades dentro do relacionamento
Desenvolver estratégias para manter e fortalecer o compromisso
Acabar com a competição
Entender as necessidades do outro
Superar a infidelidade ou traição
Melhorar a vida sexual
Melhorar a qualidade geral do relacionamento e a satisfação conjugal e a continuidade da relação.

COMO ACONTECE A TERAPIA DE CASAL
A primeira consulta
A primeira consulta com o casal e possivelmente uma com cada parceiro são utilizadas para a terapeuta poder entender o que está acontecendo e conhecer melhor cada um para isso. 

A partir dessa avaliação inicial é que a terapia se desenvolve. 

Algumas vezes, um dos membros do casal prefere vir sozinho na primeira vez, o que também pode ser feito.

As sessões
As sessões são semanais, duram 50 minutos e dentro delas são enfocadas as dificuldades específicas que o casal está enfrentando. 

Alguns casais que estão passando por uma crise intensa preferem fazer sessões duas vezes por semana.

Tarefas semanais
É comum a terapeuta pedir para o casal realizar tarefas durante a semana (entre uma sessão e outra) para melhorar o relacionamento e modificar comportamentos e pensamentos que o esteja prejudicando.

Imparcialidade do terapeuta
A terapeuta tenta entender os dois lados do problema, ajudá-los a conversar sobre isso, a buscar soluções conjuntamente. 

Ele tem estudo e treinamento para ser imparcial e respeitar ambos parceiros e para auxiliar ao casal além de um aconselhamento leigo.

Tempo de duração de tratamento
Não há um tempo certo de terapia, mas tem uma duração mais curta do que a terapia individual. A duração mínima é de uns três meses.

Comprometimento do casal
Para a terapia acontecer, ambos parceiros devem desejar tentar melhorar a relação e estar revendo suas dificuldades através da terapia. 

O andamento da terapia é influenciado pela natureza dos problemas que o casal está enfrentando, pela intensidade e duração das mágoas geradas por eles, pela bagagem emocional e cognitiva de cada um, enfim, por muitas variáveis. 

É por isso que o comprometimento com a melhora da relação é importante. O casal deve entender que a satisfação no relacionamento compete a ambos.

Finalidade
A terapia auxilia o casal a compreender melhor as causas dessas dificuldades e a procurar e implementar soluções na busca de um relacionamento sexual e geral mais satisfatórios para ambos.

SITUAÇÕES EM QUE SE PODE APLICAR TERAPIA DE CASAL
Nas dificuldades sexuais
O casal pode ficar insatisfeito sexualmente por questões individuais, devido ao desgaste ou por questões da relação em si.

As divergências podem estar nas diferenças de resposta sexual, no desejo, na frequência requerida, na proximidade e intimidade, entre outras coisas. 

Enfim, pode haver dificuldades em se equilibrar as necessidades sexuais de ambos.

O desgaste ocasionado pelo tempo é natural e muitos casais podem ter que revitalizar sua vida sexual para encontrar de novo ânimo e desejo.

As dificuldades em outras áreas do relacionamento podem estar afetando a vida sexual, assim como conflitos crônicos não resolvidos muitas vezes levam a um decréscimo do desejo sexual ou a outros problemas sexuais.

Quando um dos parceiros tem algum tipo de transtorno sexual (como vaginismo, ejaculação precoce ou dificuldade de ereção, por exemplo) a terapia é feita com sessões de casal intercaladas com sessões individuais, além de poder ser realizada individualmente.

Nas transições e ciclos de vida
Com o passar dos anos, os casais têm que se ajustar a várias mudanças relacionadas a diferentes eventos, como nascimento de filhos, adolescência, casamento dos filhos, mudanças de emprego e de residência, aposentadoria, crise de estágios de vida (crise de meia idade, por exemplo). 

Toda mudança requer um ajuste do indivíduo e gera um certo nível de estresse, que quando não é bem administrado pode levar a desentendimentos.

Nos casos de casais com crianças novas
A paternidade aumenta a responsabilidade e diminui o tempo livre do casal e eles têm que se ajustar ao novo papel. Há reflexos na área sexual e no entrosamento.

Nos casos de casais com filhos adolescentes
O casal tem que agir de comum acordo nas atitudes com os filhos, trabalhar com limites, aprender a ser firme e flexível ao mesmo tempo e adaptar-se à independência crescente que terá que dar ao filho adolescente. 

O relacionamento começa a focalizar novamente mais no casal conforme o filho começa a criar independência.

Nos casos da saída dos filhos de casa
A famosa "crise do ninho vazio" pode surgir, quando o casal passa a viver sem os filhos na mesma casa. 

Após a aposentadoria eles têm mais tempo disponível para seu relacionamento e para seus interesses pessoais. 

O fortalecimento do vínculo entre os dois pode ajudá-los a lidar melhor com o decréscimo das habilidades físicas e com a solidão potencial.

OS VÁRIOS MÉTODOS DA TERAPIA DE CASAL
Quando tratamos de terapia de casais tratamos também de métodos de aplicação dessa terapia, a saber:

Estratégica
O método estratégico, oriundo da Escola Estratégica, que tem como alvo o núcleo do problema que afeta a família, bem como a sua resolução.

Estrutural
O método estrutural, oriundo da Escola Estrutural, que tem como alvo modificar o presente e não para explorar ou interpretar o passado. 

O objetivo da intervenção do terapeuta é o sistema familiar ao qual ele se une, utilizando-se a si mesmo para transformá-lo. 

Psicanalísta e psicodinâmica
O método psicanalítico e psicodinâmico, oriundos da Escola Psicanalítica, que como ênfase o passado, a história, tanto como causa de um sintoma quanto como meio de modificá-lo. 

Para os teóricos destas abordagens, os sintomas apresentados pelos membros da família ou do casal são decorrências de experiências passadas que foram reprimidas fora da consciência. 

Na maior parte das vezes, portanto, o método terapêutico utilizado é o interpretativo e os tratamentos são de mais longa duração.

O RESULTADO DA TERAPIA DE CASAL
O resultado também depende do casal e da demanda. 

Pode haver uma resposta imediata ou mais tardia, dependendo da resistência das pessoas envolvidas. 

O importante é pensar que procurar ajuda e perceber quando algo não está bem é a ponta do iceberg. 

Viver a dois não é tarefa fácil, mas mesmo sendo difícil é preciso ser prazeroso, não pode ser sofrido, ou ter a sensação de que se carrega um fardo. 

Precisamos pensar que este peso é para ser dividido, dessa forma ele se torna leve.

CONSIDERAÇÕES IMPORTANTES QUANDO SE TRATA DE TERAPIA DE CASAL
Não existe uma fórmula mágica para apresentar aos casais, mas a partir da terapia pode-se identificar os pontos de conflitos dos dois, trabalhar em cima das dificuldades para então superá-las.

Existe um mito que associa a busca pela terapia a uma possível separação do casal, mas não é isso, o papel do terapeuta é servir como mediador do conflito para que o casal aprenda a resolver sozinhos.

O psicoterapeuta não tem como objetivo dar conselhos, mas oferecer através da sua neutralidade opções, caminhos e possibilidades que possam ser seguidas por decisão pessoal de cada um dos envolvidos numa terapia.

Postar um comentário