sexta-feira, 24 de junho de 2016

APEGO AO SOFRIMENTO


O apego ao sofrimento é algo bem mais comum do que imaginamos.

O sofrimento é uma grande fonte de prazer, pena que poucas pessoas têm conhecimento disso, pois esse apego é algo totalmente inconsciente.

Não são poucas as pessoas que sofrem, mas não percebem que o sofrimento passou um modo de vida, chegando ao ponto de muitos sentirem falta do sofrimento, quando não praticar o desapego, pois isso lhe impõe o não sofrer.

DIFICULDADE PARA RECONHECER O APEGO AO SOFRIMENTO
Quando sentimos raiva ou nos entristecemos, percebemos facilmente que algo está errado porque nosso corpo não nos engana: seja por uma dor de cabeça ou um mal estar, ele sempre nos avisa. 

Mas o apego ao sofrimento costuma ser tão sutil e comum que ignoramos os sinais dessa enfermidade. 

Não é que o corpo não avise, mas tapamos os olhos com a peneira pra manter tudo como está.

O APEGO AO SOFRIMENTO É UMA DOENÇA SUTIL
Por estarmos ainda inseridos no ambiente do inconsciente coletivo, por mais contraditório que possa parecer, achamos que é normal sentir-se bem com ele, no entanto, isso é uma doença.

AS EVIDÊNCIAS DO APEGO AO SOFRIMENTO
As evidências são expostas em situações, aonde surgem algumas perguntas como:
O que leva alguém não conseguir abandonar seus vícios (inclusive os emocionais)?
Como pode alguém sentir-se bem com algo que lhe faz mal?
Como pode alguém manter um relacionamento que lhe trás sofrimento, vergonha e dor?
O que leva alguém a manter um ritmo de vida atropelado, sem tempo e cheio de ansiedade?

Situações outras:
Este relacionamento está uma droga. Mas continuo nele porque acho que não vou conseguir nada melhor.

Este trabalho não está rendendo e não vai me dar nem estabilidade nem segurança financeira. Mas eu tenho medo de tentar uma outra oportunidade. Já estou acostumado a trabalhar.

E em especial quando:
A pessoa encontra justificativas pra ficar onde estar e continuar do mesmo jeito, comendo as mesmas bobagens, assistindo a mesma programação deprimente, mantendo relacionamentos desgastados ou falidos, percebendo o mundo da mesma forma e mantendo nossa mesma envelhecida percepção do “eu”.

Aqui temos o apego, o apego ao sofrimento.

ORIGEM DO SOFRIMENTO
O apego é a origem do sofrimento. Quanto mais apegado você é a algo ou a alguém, mais existe sofrimento.

O apego é o ponto chave que nos impede de largar o velho e partir para o novo e, portanto, é um obstáculo para qualquer mudança verdadeira.

Agora preste bastante atenção: se você está buscando algo melhor em sua vida, gostaria de uma transformação mas por algum motivo desconhecido não consegue, sinto dizer que você está contaminado – o mosquito da inconsciência pegou você! 

Por trás de sua aparente dificuldade existe algo mais profundo, uma variação deste mal chamado “apego ao sofrimento” – a raiz da procrastinação e de outros tantos hábitos destrutivos.

Pessoas apegadas ao sofrimento são profundamente identificadas com este sentimento e acreditam que é normal viver desta maneira. 

Essa identificação é a principal responsável pela criação de padrões e condicionamentos que somente são corrigidos através de esforços conscientes.

Pessoas apegadas ao sofrimento estão sempre reclamando da vida e dos outros, se queixam, se lamentam, são vitimados por tudo e por todos.

Tem como padrão de comportamento os conflitos, as brigas, as crises e o desequilíbrio emocional.

Alguns se culpam por tudo, acham que o sofrimento causa o desenvolvimento espiritual, alegando para isso, a expiação, ou alguma crença religiosa.

PADRÃO COMPORTAMENTAL DE QUEM TEM APEGO SO SOFRIMENTO
O padrão comportamental se baseia no seguinte:
O sofrimento é o centro da atenção. Normalmente é uma pessoa focada no sofrimento, seu interesse se encontra sempre em coisas negativas e que causam a dor.

Toma sempre decisões que levam ao sofrimento e a dor, criando assim um círculo, em que se cria uma situação de sofrimento e dor, em seguida, surge uma série de reclamação e pedido de socorro, em busca de alívio pra o sofrimento; a situação de tensão é aliviada, mas logo em seguida, surge uma nova situação de sofrimento e dor e assim, o processo de repete, tornando um círculo vicioso.

Normalmente pessoas que tem apego ao sofrimento têm como fonte de felicidade a dor e o sofrimento, mesmo que aleguem que não querem isso pra sua vida.

Para pessoas apegadas ao sofrimento a fonte de prazer é o sofrimento, logo elas não podem viver sem a dor e o sofrimento.

Exemplo, elas reclamam que apanham que são humilhadas, desprezadas, machucadas, mas nada fazem para sair de perto do agressor.

O SIGNIFICADO DO APEGO AO SOFRIMENTO
A partir da perspectiva do apego ao sofrimento é como se um sofrimento fosse melhor do que nada. 

Assim pensa uma pessoa que é apegada ao sofrimento: 
“Melhor um relacionamento ruim do que nenhum relacionamento”;
“Melhor uma possibilidade remota de lucro em um emprego do que nenhum emprego”. 

Para uma pessoa apegada ao sofrimento o vazio assusta, portanto, antes o ruim do que o pior.

APEGO A DOR
Apego a dor também cria o medo do novo, do desconhecido. 

Mudar significa apoderar-se de sua vida e realizar escolhas dos quais teremos que assumir total responsabilidade – e isso significa eliminar o papel de vítima.

A prática mostra, infelizmente, que as pessoas estão dispostas a tudo, menos a abrir mão de sua própria dor! 

Estão tão identificadas com seus papéis de vítimas do mundo que a simples possibilidade de uma mudança parece assustador.

QUEM PODE DAR UM FIM NO APEGO AO SOFRIMENTO
Quem pode dar fim a este ciclo? Apenas você.

Deixar ir o que nos faz sofrer nem sempre é fácil. 

Não porque sejamos masoquistas, mas porque o sofrimento tem um propósito, tem um “ganho secundário”.

O QUE PODE AJUDAR
É só pensar no que constantemente tem reclamado. 

Se reclamar não vai mudar nada, porque reclamar e focar no que nos faz mal? 

Porque reclamar possui um ganho, seja a consideração alheia, seja ter o que falar, seja se fazer de vítima.

O que pode ajudar? 

Meditação, trabalhos terapêuticos e um intenso desejo de mudança para melhor.

Um exercício interessante é anotar as reclamações, os problemas intermináveis e insolúveis, e observar o que estamos ganhando com eles. 

Por exemplo, alguém que reclama frequentemente do trânsito pode utilizar o trânsito como desculpa e justificativa para chegar atrasado em compromissos ou não ir.

O REMÉDIO PARA O APEGO AO SOFRIMENTO
Existe algum remédio pra isso?

Sim, mas é necessário um esforço: sacrificar seu próprio sofrimento, abrir mão de conceitos e sentimentalismos. 

Outra coisa importante:
A dificuldade de deixar ir é que para deixar ir o sofrimento é necessário ser honesto, honesto para si mesmo e para outras pessoas.

É a única forma de evitar que a dor bata novamente em nossa porta.

Quanto mais se posterga esta decisão, quanto mais evitamos este confronto com aquilo que pensamos ser e nos decidimos a limpar nossa bagunça interna, mais dor e sofrimento iremos colher, porque este é o único mecanismo que irá despertar em nós a força que nos fará acordar para a realidade da vida.

Culpar os outros, reclamar se faz sol ou se faz chuva,  do relacionamento, o trabalho ou o que for, não vai bem, não vai mudar em nada. 

Continuar reclamando ou então buscando culpados nunca trará resultados e é uma perda de tempo.

Postar um comentário