quarta-feira, 6 de setembro de 2017

SOLIDÃO E SEUS ASPECTOS POSITIVOS


O termo “Solidão” é por demais temidos na atualidade, em especial devidos o exagero de alguns profissionais que acham que a solidão é algo ruim e inútil o desenvolvimento humano.

Na realidade, isso é muito relativo, pois a solidão deve e pode ser visto de vários ângulos, havendo nela, pontos e negativos.

Na verdade é um erro associar a solidão à hostilidade, ao isolamento e a insociabilidade, pois de acordo como você administra a solidão, você pode tirar muitos proveitos.

E é um fato: a solidão pode ser algo extremamente saudável na vida de alguém.

Outro fato importante, não importando o nosso grau de sociabilidade, um dia ou em uma hora ou outra, temos que ficar sozinho e enfrentar a solidão, sem sentimento de culpa.

SOLIDÃO, MAIS QUE UM SENTIMENTO
Solidão é um sentimento no qual uma pessoa sente uma profunda sensação de vazio e isolamento. 

A solidão é mais do que o sentimento de querer uma companhia ou querer realizar alguma atividade com outra pessoa não porque simplesmente se isola, mas porque os seus sentimentos precisam de algo novo que as transforme.

SOLIDÃO & SOLITUDE
O que é solidão? Vejamos:
Solidão não é o mesmo que estar sozinho. As vezes, as pessoas escolhem ficar sozinhas, porque lhes dá uma sensação de satisfação ou faz com que sejam felizes e auto-suficientes.

Solidão não é uma escolha, uma pessoa pode se sentir solitário mesmo quando está em uma multidão e uma pessoa, ou uma pessoa pode estar sozinha e ainda ser feliz, isso vai depender de cada pessoa.

Solidão de fato é um profundo sentimento de isolamento onde a pessoa sente que não tem alguém para conversar ou alguém que vai ouvi-la.

O que é solitude? Vejamos:
Solitude é uma solidão produtiva, aquele momento que uma pessoa tira para refletir na vida, reavaliar sua vida diante de si mesmo e diante de outras pessoas.

Solitude é o momento de produção mental, o momento do pensar construtivo, uma necessidade em nossos dias.

CAUSAS DA SOLIDÃO
As pessoas podem sentir solidão por muitas razões e muitos eventos da vida estão associados a ela. 

A falta de amizades durante a infância e adolescência ou a falta de pessoas interessantes podem desencadear não só a solidão, mas também a depressão e o celibato involuntário. 

Muitas pessoas passam pela experiência da solidão pela primeira vez quando são deixadas sozinhas quando crianças.

A solidão pode ser causada por uma variedade de coisas, exemplos:
Mudança de lugar;
Distância da família;
Distância de alguém que se ama;
Distância de amigos;
Término de um relacionamento;
Doenças físicas;
Perdas diversas, etc.

Como também a solidão pode indicar que a pessoa se encontra desenvolvendo uma enfermidade, física, orgânica ou mental, mas isso precisa de um diagnóstico de um profissional, antes de qualquer coisa, digo isso, tendo em vista a tendência de estarmos encontrando enfermidades mentais para todos os comportamentos vivenciados em nossa sociedade.

A solidão pode ser eventual, ou circunstancial, quando isso acontece ela é passageira e a pessoa volta ao nível comportamental que tinha antes.

Pode ser também que uma pessoa entre no estágio de solidão e tenha dificuldade de sair desse estágio, caso isso aconteça, a pessoa pode necessitar de uma ajuda de um profissional.

A solidão pode ocorrer também após o nascimento de uma criança, um casamento ou outro evento socialmente disruptivo, como a mudança de um estudante para um campus universitário.

A solidão pode ocorrer dentro de um casamento ou relacionamentos íntimos similares quando há raiva, ressentimento ou quando o amor dado não é correspondido. 

A SOLIDÃO PODE LEVAR ALGUÉM A AUTO-CONSCIÊNCIA
A solidão vivenciada por alguém pode levar esse alguém a experimentar uma ruptura com o seu ritmo de agitação da vida que tenha experimentado, levando-a a uma auto-reflexão e introspecção que a leva a uma maior autoconsciência.

Em outras palavras, a solidão pode ser de grande utilidade, quando isso acontece, chamamos de solitude.

CUIDADO COM A RECUSA DA SOLIDÃO
A solidão somente pode ser compreendida como um fardo quando esta é imposta, quando a pessoa que se sente sem apoio social deseja tê-lo e não tem forma de encontrá-lo. Esta solidão tem muito a ver com a necessidade de contar, de falar e de relatar parte da nossa história.

Por isso é um sentimento tão prejudicial nas pessoas mais velhas. Elas sentem que acumularam uma certa sabedoria que precisam entregar de alguma forma e, por isso, são tão agradecidas quando simplesmente lhes dedicamos tempo. 

Porque a tristeza que acompanha a solidão imposta também tem muito a ver com o tempo e com a sensação de que não somos, talvez, suficientemente valiosos para que alguém o dedique a nós.

No lado oposto está a solidão escolhida, a necessidade de poder escapar do barulho social. 

A inquietude de tomar certa distância que nos dê clareza, como se de perto enxergássemos embaçado. Este tipo de solidão é a que nos faz independentes e nos dota de recursos para podermos nos sentir plenos, dependendo única e exclusivamente de nós mesmos.

ALGUNS BENEFÍCIOS DA SOLIDÃO
Você pode fazer o que quiser, quando quiser
Se você é uma pessoa que ama a solidão e vive sozinho na sua casa, é provável que tenha se acostumado a ser a pessoa com quem mais se preocupa. 

Talvez, nessa hora você esteja colocando na balança as vantagens que a solidão implica frente as que teria uma vida compartilhada.

Entre as vantagens certamente está escolher os seus planos, não dar explicações ou poder tomar decisões instantâneas; entre as desvantagens, a segurança que lhe daria ter um apoio incondicional, a necessidade de bem-estar que emana do fato de compartilhar, ou o fato de poder delegar algumas das responsabilidades domésticas.

Existem pessoas para as quais esta solidão cotidiana será uma situação transitória e outras que a escolherão para sempre. O melhor, seja você de um grupo ou de outro, é que a sua situação seja a que você escolher e não uma à qual você tenha que se adequar porque você não tem a oportunidade de viver de outra forma.

Você pode se amar a si mesmo em vez de não amar ninguém
Dizem que a solidão ajuda a gente a crescer como pessoa e a se conhecer. Contudo, tenha em mente que isto não será assim se você mergulhar na frustração de não poder se desfazer nem dela, nem do sentimento, se você começar a procurar de forma obsessiva o jeito de escapar, como se fosse uma espécie de leão na savana.

Se você aprender a se apoiar, a aceitar as suas virtudes e os seus defeitos e, finalmente, a se amar, estará no caminho correto de encontrar a felicidade, já que não dependerá de ter ou não um relacionamento amoroso para consegui-lo. 

O relacionamento perfeito deve ser o que você tem consigo mesmo. Não se esqueça de que dele partirão os que você criar com os outros.

Você pode cultivar as boas amizades
Quem disse que a solidão é sinônima de estar isolado ou de não ter amigos? Não é nada disso! A solidão é a sua capacidade de viver do seu jeito e isso não está amarrado, de forma alguma, a ter bons amigos que lhe compreendam, que gostem de você, que respeitem o seu jeito de viver e façam você feliz.

Além disso, quando você decide estar sozinho, está dando a si mesmo a oportunidade de conhecer novas pessoas por ter começado a fazer novas atividades sem companhia. 

Pessoas que compartilham os seus gostos e que sem dúvida irão enriquecer a sua vida. Serão parte desse novo ar que entra nela, e os que farão você se afastar de alguns relacionamentos aos quais você só se apegava por medo de estar sozinho.

QUANDO A SOLIDÃO CAUSA PREOCUPAÇÃO
A solidão é prejudicial quando ela se apresenta como um sintoma de alguma enfermidade física, orgânica ou mental. Ou então como uma característica de um problema social.

Outra coisa importante e deve ser levado em conta é saber se a pessoa tem tendência ou histórico de suicídio na família, ou então que já tenha tentado suicídio anteriormente.

A solidão que causa preocupação vem sempre acompanhada de outros sentimentos ou sintomas, como por exemplo, isolamento, tontura, paranoia, fixação de ideias, obsessão, compulsão, comportamento bizarro, isolamento e retraimento severo.

A solidão acompanhada de sintomas, como os citados anteriormente deve levantar suspeita e um profissional deve ser procurado.

TRATAMENTO
Existem muitas formas diferentes para tratar a solidão, o isolamento social e a depressão. 

O primeiro passo, e o mais frequentemente recomendado, é a terapia. A terapia é um método comum e efetivo de se tratar a solidão, e geralmente é bem-sucedido. 

Terapias curtas, o tipo mais comum, geralmente se estendem por 10 a 20 semanas. 

Durante a terapia, enfatiza-se a compreensão da causa do problema; reverter os pensamentos, sentimentos e atitudes negativas resultantes do problema; e explorar as formas de melhora do paciente. 

Alguns especialistas recomendam a terapia em grupo como uma forma de se conectar a outras pessoas que passam pelo mesmo sofrimento e estabelecer assim um sistema de apoio.

Especialistas frequentemente prescrevem antidepressivos como tratamento ou em conjunto com a terapia. Geralmente ocorrem algumas tentativas de combinações de drogas até que uma combinação mais adequada seja encontrada para o paciente — essa combinação é encontrada pelo método da tentativa-e-erro. 

Alguns pacientes podem desenvolver uma resistência a certos tipos de medicação e necessitar de uma mudança periodicamente.

Abordagens alternativas são sugeridas por alguns especialistas. Tais tratamentos incluem exercícios físicos, dieta, hipnose, acupuntura, fitoterapia, entre outros. 

Muitos pacientes relatam que a participação em tais atividades aliviaram os sintomas relacionados à depressão, total ou parcialmente.

Outro tratamento, tanto para depressão quanto para a solidão, é a terapia de animais de estimação, ou terapia através da presença de animais de companhia, como cachorros, gatos, coelhos e até mesmo porquinhos-da-índia. 

De acordo com a agência Centers for Disease Control and Prevention, existem vários benefícios associados aos animais de estimação. 

Além de atenuar a sensação de solidão (mesmo porque isto pode também levar à socialização com outros donos de animais semelhantes), ter um animal de estimação diminui a ansiedade e, consequentemente, os níveis de stress no organismo.

Postar um comentário